Vamos Curti

ACESSE O BLOG

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Apreensões diminuem e punições reprimem crimes ambientais


Segundo a PMA, um comparativo nos últimos dez anos revelam que as operações resultaram em menos volume de apreensões de pescado, enquanto que os rigores da lei são aplicados

Dados das últimas dez operações mostram, segundo a Polícia Militar Ambiental (PMA/MS), que as apreensões de pescado saíram de duas toneladas, e têm se estabilizado em um patamar médio de uma tonelada, enquanto aumenta proporcionalmente a quantidade de pessoas presas por insistirem em pescar neste período.
Na última piracema foram apreendidos apenas 1085 kg. Já se chegou a apreender mais de seis toneladas. Isso reflete a prevenção por meio dos cuidados aos cardumes, especialmente nas cachoeiras e corredeiras, bem como a ordem do Comando da PMA de encaminhar os infratores, conforme a lei permite, às delegacias para serem autuados em flagrante, embora estes saiam após pagarem fiança.
No entanto, isso serve para demonstrar ao autuado de que ele está cometendo um crime passível de cadeia.
 
Dados sobre os últimos dez operações realizadas em Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação)Dados sobre os últimos dez operações realizadas em Mato Grosso do Sul (Foto: Divulgação)

PUNIÇÕES

A Lei Federal 9.605/98 e o Decreto Federal 6.514/2008, também têm sido as grandes armas da PMA na repressão dos crimes ambientais. A lei 9.605/98 prevê prisão de um a três anos aos autuados por pesca predatória, enquanto o Decreto Federal 6514/2008, que regulamenta a parte administrativa desta Lei, prevê multas de R$ 700 a R$ 100 mil reais e mais R$ 20 reais por quilo do pescado irregular.
A pessoa pode ser presa, algemada, encaminhada à Delegacia de Polícia, onde é autuada em flagrante delito, podendo sair sob fiança não sendo reincidente e, ainda ter todo o produto da pesca, barcos motores e veículos apreendidos.
Na reincidência não há fiança. Sabe-se que a cada ano há um aumento da sensibilização ecológica da população, que além de conservar melhor os recursos naturais, tem denunciado as pessoas que insistem em infringir a legislação ambiental.
A confiança que a população tem na PMA tem feito com que as denúncias aumentem vertiginosamente a cada ano.
 
Lei federal prevê prisão de um a três anos aos autuados por pesca predatória, enquanto decreto federal prevê multas de R$ 700 a R$ 100 mil reais e mais R$ 20 reais por quilo do pescado irregular (Foto: Divulgação)Lei federal prevê prisão de um a três anos aos autuados por pesca predatória, enquanto decreto federal prevê multas de R$ 700 a R$ 100 mil reais e mais R$ 20 reais por quilo do pescado irregular (Foto: Divulgação)

CONTROLE DE ESTOQUES

O controle de estoques dos estabelecimentos que comercializam pescado será feito de maneira mais efetiva, para evitar que peixarias adquiram pescado irregular, evitando assim, a captura nos rios, pois se não há para quem vender certamente o pescador não irá capturar peixe neste período.
Policiais Ambientais, utilizando motocicletas e viaturas de quatro rodas estarão monitorando e dando baixa nos estoques das peixarias da Capital e Interior.

DECLARAR ESTOQUE

O Decreto 6.514/98, que regulamenta a lei de crimes ambientais, prevê as mesmas penas administrativas para quem não declara o estoque, inclusive apreensão de todo o produto (artigo 35 inciso VI). “São obrigados a declarar estoque todos os estabelecimentos que trabalham com pescado: frigoríficos, peixarias, pontos de vendas, restaurantes, hotéis e similares e também peixes vivos nativos ornamentais ou para uso de iscas vivas”.
 
O controle de estoques dos estabelecimentos que comercializam pescado será feito, a partir do dia 10, de maneira mais efetiva, para evitar que peixarias adquiram pescado irregular (Foto: Divulgação)O controle de estoques dos estabelecimentos que comercializam pescado será feito, a partir do dia 10, de maneira mais efetiva, para evitar que peixarias adquiram pescado irregular (Foto: Divulgação)
Art. 35 (Decreto 6.514/2008). Pescar em período ou local no qual a pesca seja proibida: Multa de R$ 700,00 a R$ 100.000,00, com acréscimo de R$ 20,00, por quilo ou fração do produto da pescaria, ou por espécime quando se tratar de produto de pesca para uso ornamental.
Incorre nas mesmas multas quem deixa de apresentar declaração de estoque.
Os dados mostram apreensão de mais de duas toneladas de pescado por falta de declaração. Ou seja, mesmo que o pescado tenha origem, a falta de declaração pode levar a apreensão.
A fiscalização dos estoques começará a partir de segunda-feira, dia 10 de novembro de 2014.
(*) Com Assessoria de Comunicação da PMA/MS

Apresentador Ratinho esteve nesse final de semana em Presidente Epitácio

Em seu programa nessa segunda feira, Ratinho contou um pouco sobre como foi estar em Epitácio.


Depois da votação feita no Fantástico para escolher o pôr do sol mais bonito do Brasil,Presidente Epitácio atrai olhares das mais célebres emissoras e artistas.
Dessa vez quem esteve curtindo a praia ribeirinha foi o apresentador do SBTRatinho. O artista chegou na cidade com sua equipe e se hospedaram na Pousada Cururu, o guia de pesca Joãozinho nos informou como é o artista, já que ele ficou ao seu lado durante os três dias de hospedagem dele, "O Ratinho é muito simpático, humilde, tirou fotos com todos que pediam, amou nossa comida, falou que em todos os lugares que esteve no Brasil não achou comida tão boa quanto a nossa. Muitos dizem que ele é grosso, estúpido, mas ninguém aqui viu isso, muito pelo contrário, ele deu atenção e foi simpático com todos da pousada".
Ratinho convidou Paulo Cururu, dono da pousada, para estar em seu programa nessa quarta feira, Paulo já está em São Paulo e falará no programa. Joãozinho também nos contou um episódio engraçado que passou: "Ratinho foi embora com sua equipe e esqueceu seu óculos, eu sai correndo para devolve-lo, quando encontrei com Ratinho, brinquei e falei: Poxa vida, deveria ter pego o óculos pra mim, ia tirar mo grana nele, Ratinho rachou o bico e mais uma vez demonstrou o quanto é simpático e gente boa".
Em seu programa nessa segunda feira, Ratinho contou um pouco sobre como foi estar em Epitácio.
Quem será o próximo artista que visitará o pôr do sol mais bonito do Brasil?
Fonte:batamix

Candidata de MS é finalista no concurso Miss Bumbum Brasil

Vanusa Hoppe ficou na sexta colocação entre 26 candidatas brasileiras. Além dela, outras 14 candidatas foram classificadas para fase final.

anusa Hoppe, candidata de Mato Grosso do Sul ao Miss Bumbum Brasil 2014, foi uma das 15 classificadas para a final do concurso, que será realizada no dia 17 de novembro, em São Paulo. A jovem de 28 anos concorreu com outras 26 candidatas e terminou a primeira fase da competição na sexta colocação.
As finalistas que disputam o título de bumbum mais bonito do Brasil foram escolhidas por voto popular pelo site do concurso.
 
Vanusa Hoppe, candidata de MS ao Miss Bumbum Brasil 2014 <i>Foto: Lucas Lourenço/ G1 MS</i>Vanusa Hoppe, candidata de MS ao Miss Bumbum Brasil 2014 Foto: Lucas Lourenço/ G1 MS
Segundo o site Ego, as votações terminaram no último domingo (2). Ao G1, Vanusa disse que não ficou tão satisfeita com a colocação na primeira fase.
"Desde o começo da votação eu já cheguei a ficar até segundo lugar. Depois fiquei oscilando entre terceira e quarta colocação. Sempre tive uma posição melhor e, agora na final, que cai. Mas tudo bem, passei para a final", ressaltou.
Questionada se desanimou por conta do resultado na primeira etapa, Vanusa é enfática ao dizer que não.
"Estou animada ainda, torcendo para dar tudo certo. Na final, vou dar o melhor de mim, mas se eu não for classificada já está ótimo. O meu foco é aproveitar agora as portas que o concurso abriu para a minha carreira", explicou.
Segundo ela, na final do concurso as candidatas participarão de desfiles de traje de gala e de biquíni e serão avaliadas por jurados. As três primeiras colocadas receberão premiação.
O Miss Bumbum Brasil está na 4ª edição. Em 2011, a vencedora foi Rosana Ferreira, em 2012, Carine Felizardo ganhou o título e a atual campeã do concurso é Dai Macedo.
Confira a lista das 15 finalistas:
1 - Claudia Alende (PR), 20 anos
2 - Bruna Valentim (RJ) , 21 anos
3 - Renata Alves (CE), 27 anos
4 - Indianara Carvalho (SC), 22 anos
5 - Clau Dullios (RS), 26 anos
6 - Vanussa Hoppe (MS), 28 anos
7 - Yara Muniz (BA), 27 anos
8 - Ana Paula Costa (ES) , 22 anos
9 - Ana Flávia Magalhães (GO), 27 anos
10 - Vivian Cristinelli (MG), 23 anos
11 -Rebeka Francys (RO), 23 anos
12 - Patricía Oliveira (MT), 39 anos
13 - Ana Paula Souza (DF), 27 anos
14 - Lucinane Sanches (MA), 26 anos
15 - Jac Veloso (PE), 24 anos
Vanusa Hoppe, candidata de MS ao Miss Bumbum Brasil 2014 Foto: Lucas Lourenço/ G1 MS

Serasa Experian traça o Mapa da Inadimplência no Brasil em 2014

Estudo revela que índices de inadimplência são diferentes quando se avalia o assunto por capitais; Regiões Norte e Centro-Oeste são as que mais apresentam inadimplentes, com incidência maior na faixa etária de 26 a 30 anos

Qual o nível de inadimplência em todo o Brasil, por regiões e cidades – esta foi a pergunta-base para um levantamento inédito da Serasa Experian, que traçou o Mapa da Inadimplência no país referente ao primeiro semestre do ano. O estudo, realizado de forma abrangente pela primeira vez, tomou como base todos os municípios brasileiros com população acima de 1.000 habitantes, revelando que existem diferentes índices de inadimplência de acordo com a maneira que o tema é avaliado – por cidades e regiões brasileiras.

Quando são avaliadas as dívidas atrasadas há mais de 90 dias e com valores acima de R$ 200,00, os inadimplentes totalizam 35 milhões de pessoas, o equivalente a 24,5% da população. A região que concentra mais inadimplentes é a Norte, atingindo 31,1% da população, seguida pelo Centro-Oeste, com 26,4%.
Em seguida, vem a região Sudeste (24,5%) e a Nordeste (23,6%). Segundo economistas da Serasa Experian, o interior do Nordeste possui baixo índice de inadimplência pois grande parte dessa população ainda não possui acesso ao crédito, o que resulta em poucos endividados em relação ao tamanho da população. A região Sul é a que menos apresenta inadimplentes: 22,4% da população se encontram nessa situação.

CAPITAIS

Ao se avaliar a taxa de inadimplência por capitais estaduais, Manaus, no Amazonas, é a mais inadimplente: 38,1%, seguida por Porto Velho (RO), com 37,2%, e Macapá (AP), com 36,4% - todas na região Norte do país. Economistas da Serasa Experian explicam que Manaus e outras capitais das regiões Norte e Nordeste tendem a ter inadimplência mais alta, pois possuem renda per capita menor que a de capitais do Centro-Sul.
Já entre as menos inadimplentes, a liderança é de Florianópolis, em Santa Catarina, com 22,3% de taxa de inadimplência. Em segundo lugar vem São Paulo (SP), com 23,9% de inadimplência (apesar de ser a capital com maior representatividade no ranking, 8%), e Campo Grande (MS) em terceiro, com 24,4%.

FAIXA ETÁRIA

O mapeamento também avaliou a inadimplência por idade. A faixa etária mais representativa é entre 26-30 anos, onde a taxa de inadimplentes chega a 29,9%. Em seguida, estão inadimplentes 29,3% dos consumidores entre 31-35 anos, seguidos por pessoas com idades entre 36 e 40 anos, com 28,2% de inadimplência, e o grupo entre 18 e 25 anos, com pouquíssima diferença – a taxa é de 28,1%. A inadimplência diminuiu, segundo o estudo, à medida que a idade aumenta: acima de 70 anos, a taxa é de 10,3%.
 
Relação da inadimplência por faixa etária (Foto: Ilustração/Serasa)Relação da inadimplência por faixa etária (Foto: Ilustração/Serasa)
O estudo também avaliou a taxa de inadimplência por grupos da população brasileira, de acordo com a classificação do Mosaic Brasil – metodologia de segmentação da sociedade que leva em conta não só a renda, mas também outros critérios, como educação, geografia, demografia, padrões comportamentais e estilo de vida com o objetivo de entender melhor o mercado, a sociedade. Para saber mais sobre cada um dos 11 grupos identificados no Mosaic Brasil, acesse este link: http://www.serasaexperian.com.br/mosaic/
De acordo com o estudo da Serasa Experian e a classificação Mosaic Brasil, o grupo Jovens Adultos da Periferia representa 23% dos inadimplentes no Brasil. O estudo também mostra que 34% do total de pessoas que compõem esse grupo ficaram inadimplentes em 2014, maior percentual dentro dos grupos. Esse grupo representa 16,8% da população brasileira.
No outro extremo, o grupo Experientes Urbanos de Vida Confortável apresentou o menor percentual de endividados, representando 2% dos inadimplentes do Brasil. O segundo grupo com maior representatividade entre o total de inadimplentes do Brasil é o Massa Trabalhadora Urbana, que responde por 17% dos devedores. Segundo o estudo, 30% do total de pessoas que compõem esse grupo ficaram inadimplentes em 2014. A Massa Trabalhadora Urbana representa 14,32% da população do país.
O grupo com o terceiro maior percentual de inadimplentes do país é o de Adultos Urbanos estabelecidos, que representam 14% do total de devedores do Brasil. Do total de indivíduos que compõem este grupo, 33% está inadimplente.

PROPRIETÁRIOS

Quando consideramos apenas os percentuais de endividamento dentro dos grupos, os Donos de Negócio se destacam com o maior número: 41% dos indivíduos estão inadimplentes.
Veja os dados completos por grupo na tabela abaixo:
 
Percentuais de endividamento dentro dos grupos (Foto: Ilustração/Serasa)Percentuais de endividamento dentro dos grupos (Foto: Ilustração/Serasa)

DICAS PARA LIMPAR NOME

  1. Faça as contas Comece avaliando cuidadosamente as contas, de preferência, coloque tudo no papel ou na tela do computador: qual sua renda mensal e quanto já está comprometido com despesas que não podem ser cortadas ou reduzidas? O objetivo desse processo é simples: descobrir o valor disponível mensalmente passível de ser utilizado no pagamento de dívidas.
  2. Quantas pendências? Acesse o Limpa Nome Online (www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online) e verifique quantas pendências financeiras existem – estudos da Serasa Experian indicam que cada consumidor inadimplente possui, em média, quatro dívidas. Anote a proposta que foi feita pelas empresas credoras.
  3. Se achar necessário, peça ajuda a alguém confiável O processo de acertar as contas e pagar dívidas exige cuidado. Avalie quanto você pode pagar em cada pendência. Se achar necessário, peça ajuda para parentes ou amigos. É importante que seja alguém de sua confiança. A presença de outra pessoa nesse momento ajuda a dar segurança na hora de avaliar, de forma mais racional, ajudando a definir quanto pagar, se a proposta do credor é boa e se é possível honrar o pagamento.
  4. Eleja as prioridades e renegocie suas dívidas Após saber exatamente quanto pode pagar, comece a negociar suas dívidas pelo site. Lembre-se de que o total das prestações não deve ultrapassar o valor disponível de sua renda. Caso exista mais de uma pendência, tente negociar de forma que todas as prestações juntas caibam nesse orçamento. Estabeleça prioridades usando como critério as dívidas com juros mais elevados.
  5. Controle seus gastos Enquanto estiver pagando as dívidas negociadas, controle seus gastos e, se possível, tente reduzir despesas. Por meio do link http://www.serasaconsumidor.com.br/guia-orientacao/capitulo-3.php você tem acesso ao Guia de Orientação ao Cidadão Serasa Experian, desenvolvido para ajudar o consumidor a controlar melhor sua vida financeira.

METODOLOGIA

O Mapa da Inadimplência no Brasil foi realizado levando em consideração as informações disponibilizadas pelas empresas concedentes de crédito à Serasa Experian, com base nos municípios com população superior a 1.000 (mil) habitantes. Para a consideração de inadimplência, foram avaliadas dívidas atrasadas há mais de 90 dias e com valores acima de R$ 200,00.
Os registros de inadimplência foram classificados de acordo com o Mosaic Brasil, solução da Serasa Experian para análise da sociedade em função da renda, geografia, demografia, padrões comportamentais e estilo de vida, que organiza a população em 11 grupos e 40 segmentos.

SERASA EXPERIAN

A Serasa Experian é líder na América Latina em serviços de informações para apoio na tomada de decisões das empresas. No Brasil, é sinônimo de solução para todas as etapas do ciclo de negócios, desde a prospecção até a cobrança, oferecendo às organizações as melhores ferramentas. Com profundo conhecimento do mercado brasileiro, conjuga a força e a tradição do nome Serasa com a liderança mundial da Experian. Criada em 1968, uniu-se à Experian Company em 2007. Responde on-line/real-time a 6 milhões de consultas por dia, auxiliando 500 mil clientes diretos e indiretos a tomar a melhor decisão em qualquer etapa de negócio. É a maior Autoridade Certificadora do Brasil, provendo todos os tipos de certificados digitais e soluções customizadas para utilização da tecnologia de certificação digital e de Notas Fiscais Eletrônicas (NF-e), tornando os negócios mais seguros, ágeis e rentáveis.
Constantemente orientada para soluções inovadoras em informações para crédito, marketing, identidade digital e negócios, a Serasa Experian vem contribuindo para a transformação do mercado de soluções de informação, com a incorporação contínua dos mais avançados recursos de inteligência e tecnologia.
(*) Com informações da equipes de Relações com a Imprensa da Serasa Experian

Portaria muda normas de cadastro no programa Mais Médicos

A partir de agora, o registro deverá ser feito no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES).

Foram definidas novas normas para o cadastro de profissionais e equipes do Programa Mais Médicos. É o que sinaliza a Portaria 1.143 do Ministério da Saúde, publicada no último dia 30 de outubro.
A partir de agora, o registro deverá ser feito no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES).
Conforme explica o texto, os profissionais participantes do programa serão identificados no Sistema de acordo com o Cadastro de Pessoa Física (CPF).
Haverá, então, cruzamento de dados sobre as informações prestadas no CNES e o cadastro realizado no momento de adesão ao Mais Médicos. Será considerado o Município de atuação indicado no Sistema de Gerenciamento de Programas, seguindo as regras de cadastramento.
O participante deverá estar vinculado a um dos seguintes tipos de estabelecimentos da Atenção Básica: posto de saúde, centro de saúde/unidade básica, unidade mista, unidade móvel fluvial, polo base I ou polo base II.
De acordo com a Classificação Brasileira de Operações (CBO), estão inclusos profissionais como médico clínico, médico de família e comunidade, médico de saúde da família e médico generalista, a depender da exigência da equipe a qual o profissional está ligado.
Regras
A carga horária de trabalho será de 40 horas semanais, conforme previsto no edital do Programa. Entretanto, os participantes do Mais Médicos ficam vetados de participar da Atenção Básica ou de equipes em Município diferente ao qual foi indicado no SGP.
A Coordenação-Geral dos Sistemas de Informação fará o controle das medidas para as adequações no SCNES definidas na portaria sejam cumpridas.
Agência CNM

Três Lagoas é destacada na Globo como cidade que mais atrai trabalhadores no Centro Oeste


Nos últimos anos, o perfil do trabalhador brasileiro mudou; profissional qualificado, ele está deixando as capitais ou a cidade natal em busca de oportunidade e de melhores ganhos no interior. E Três Lagoas, a 2ª cidade que mais gera emprego no Estado, sendo a celulose responsável por mais de 7 mil trabalhadores, é um dos destinosA qualificação profissional e melhores oportunidades em outras regiões estão promovendo uma mudança do perfil do trabalhador brasileiro, que agora, ao contrário do que vinha ocorrendo há tempos no país, prefere deixar a cidade natal, ou as capitais, por melhor ganho nas cidade do interior. É assim que acontece em Três Lagoas, por exemplo, que há dez anos experimenta um boom de desenvolvimento que a tem destacado dentre os Municípios brasileiros que mais crescem.

Tal cenário foi levantado pela reportagem da Rede Globo, por meio do Jornal Hoje, no bloco Sala de Emprego, na segunda-feira (03) passada. Nessa sessão, a jornalista-apresentadora sul-mato-grossense Veruska Donato, mostra que há muitas oportunidades de vagas no interior do Brasil e muita gente está deixando as capitais. Nos últimos anos, o perfil desse trabalhador mudou. Hoje quem deixa a cidade natal em busca de oportunidade são profissionais qualificados.

TERRA DAS OPORTUNIDADES

Três Lagoas vive um grande período de ascensão, ganhando destaque em âmbito nacional. Sendo conhecido como “Terra das Oportunidades”, o município fundado por Antônio Trajano dos Santos no início do século passado, hoje, ultrapassa a faixa de 100 mil habitantes, sendo a segunda cidade que mais gera emprego em Mato Grosso do Sul, por conta das grandes empresas que aqui se instalaram. A pecuária que antes era a principal atividade abriu espaço para o eucalipto e agora o Município ganha visibilidade ainda maior, se tornando a “Capital Mundial da Celulose”.
De acordo com a reportagem do Jornal Hoje, as duas maiores empresas de papel e celulose da região (Fibria e Eldorado) empregam juntas mais de 7 mil trabalhadores, em grande maioria no campo, sendo a produção de muda um dos setores que mais geram empregos.
 
As fábricas de celulose movimentam também a geração de empregos no campo, com a necessidade de reposição florestal através de mudas de eucalipto (Foto: Divulgação)As fábricas de celulose movimentam também a geração de empregos no campo, com a necessidade de reposição florestal através de mudas de eucalipto (Foto: Divulgação)

LOCALIZAÇÃO

O jornal cita ainda, que um dos fatores determinantes para atrair os novos investidores e conseqüente contratação de mão de obra, foi a localização estratégica na divisa com o Estado de São Paulo. Segundo o gerente de pessoas e serviços da Eldorado Brasil, Alberto Pius, a localidade favorece as empresas em questões de logísticas, como hidrovias, ferrovias e hidrovias.
Conforme a reportagem, as cidades do interior de nove estados geraram, de janeiro a setembro, quase 413 mil vagas, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Esses estados são responsáveis por 70% das vagas de todo o Brasil: Bahia, Pará, Ceará, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.
O PIB do interior cresceu 49% nos últimos dez anos, quase 10 pontos percentuais a mais que o dos grandes centros urbanos. Em 2013, o interior desses estados gerou 552.071 empregos. As principais áreas de contratação são indústria, construção, comércio e serviços. A tradicional agricultura ficou de fora no ano passado.

CENTRO OESTE

No interior de Mato Grosso do Sul, as duas cidades com mais vagas abertas são Dourados e Três Lagoas. Nos últimos seis anos, Três Lagoas se tornou um pólo para a instalação de indústrias de papel e celulose. As duas maiores empresas da região empregam juntas mais de sete mil trabalhadores. A localização estratégica, na divisa com o estado de São Paulo, foi definitiva para atrair novos investidores.
A indústria aquece a contratação no campo. A produção de mudas é um dos setores que mais geram empregos. O auxiliar de serviços gerais Márcio Fernandes chegou do Nordeste há quatro meses para trabalhar em um viveiro de eucalipto: “Não tem muito serviço lá no Piauí, por isso eu vim pra cá. Aqui tem muita oportunidade, bem diferente do Piauí".
 
A produção de mudas é um dos setores que mais geram empregos, como garante o serviços gerais Marcio Fernandos, nordestino que está em Três Lagoas há quatro meses (Foto: Divulgação)A produção de mudas é um dos setores que mais geram empregos, como garante o serviços gerais Marcio Fernandos, nordestino que está em Três Lagoas há quatro meses (Foto: Divulgação)
A 450 quilômetros de Três Lagoas fica Dourados, a segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, região onde o agronegócio é o forte da economia. Na região estão instaladas 16 usinas de açúcar e álcool. Elas processam mais de 80% da cana de açúcar produzida em Mato Grosso do Sul e juntas empregam mais de 16 mil trabalhadores.

SUDESTE

Pesquisa feita por uma empresa de recrutamento com mais de quatro mil trabalhadores mostrou que 88,3% dos entrevistados aceitariam uma proposta para trabalhar no interior de São Paulo. Com mais de 2,6 milhões moradores e 20 municípios, a Região Metropolitana de Campinas foi escolhida por mais de 32% dos entrevistados.
Entre os atrativos de Campinas estão a proximidade com a capital paulista, as boas universidades e um pólo industrial maior até do que de algumas capitais. Sozinha, a cidade responde por 15% de toda a produção científica do Brasil.
A especialista em tecnologia da informação Andrea Alves não teve dúvida e trocou a capital pela vida no interior. A empresa em que ela trabalha tem hoje 40 vagas abertas. “Eu gastava uma hora do meu trabalho para minha casa e achava isso normal. Aqui no interior tenho chance de morar em uma casa. O mundo era mais confinado lá”, relata.

NORDESTE

No Nordeste, o destaque é São Gonçalo do Amarante, no interior do Ceará. O Porto do Pecém atraiu muitas empresas para a cidade. Nos últimos quatro anos, 21,8 mil pessoas foram contratadas com carteira assinada, o que representa quase metade da população da cidade, que, antes, só recebia visitantes durante a alta estação.
As obras da companhia siderúrgica que está sendo instalada no local já geraram 10 mil empregos. São operários da construção civil até engenheiros super especializados. No ano que vem, a empresa deve abrir mais sete mil vagas. "Nós já estamos providenciando o transfer de mudança das pessoas e outros atrativos que nós vamos compensar um pouco para pessoa vir trabalhar conosco”, afirma Júlio Castro, gerente de RH.

NORTE

Três cidades do interior do Pará estão gerando mais vagas do que toda a Região Metropolitana de Belém. Desde o início da construção de Belo Monte, em 2011, os empregos se multiplicam. De janeiro a agosto, o município do sudoeste paraense gerou mais de 34 mil postos de trabalho.
Segundo o Dieese, a oferta de emprego no interior do Pará está em alta há pelo menos três anos. Em 2013, a região chegou a superar a Grande Belém na geração de postos de trabalho. Das 400 mil vagas abertas em todo o estado, 250 mil foram preenchidas fora da Região Metropolitana. Apenas três municípios - Altamira, Parauapebas e Marabá – concentraram 40% das contratações.
Nessas três cidades há grandes projetos nas áreas de mineração, energia e portuária, que somados aos setores de comércio e de serviços, abriram de janeiro a setembro deste ano 70 mil vagas para todos os níveis de qualificação profissional. Destas vagas, oito mil estão só nas obras de Belo Monte.

SUL

A cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, se transformou em uma importante cidade universitária e é a terceira cidade exportadora de cérebros, título que recebeu do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), por causa do número de estudantes formados que saem da cidade para trabalhar em todo o Brasil.
Santa Maria só fica atrás de São Paulo e do Rio de Janeiro. Ao todo, são sete instituições de ensino superior em uma cidade de apenas 300 mil habitantes. A maior delas é a Universidade Federal que tem um orçamento três vezes maior do que o município inteiro. São quase 30 mil alunos.
Em 2013, Santa Maria foi a quarta cidade gaúcha que mais gerou emprego: 2,8 mil, principalmente na prestação de serviços.
Fonte:Jornal Hoje G1